Uma família descendente da Mona Lisa, que faz vinhos na Toscana, em uma vinícola comandada pela família Giucciardini Strozzi, mais especificamente pelas irmãs e princesas Irina e Natalia Strozzi, e que tem relações familiares que remontam ao período de Nicolau Maquiavel e da Familia Medici, família burguesa tradicional e muito influente na Italia entre 1430 e 1740.

Assim foram apresentados os vinhos da Tenute Giucciardini, importados pela importadora Italia Mais. Começando pelo espumante, o Cusona Brut. Um espumante único, feito 100% com Vernaccia di San Gimignano, uma uva típica da toscana. Nunca havia tomado um espumante 100% com Vernaccia e confesso que gostei. Lembra um riesling pela sua mineralidade bem intensa. Um espumante com personalidade, intendo, mas leve na boca. No mercado, deve custar por volta de R$ 190,00.

O Arabesque 2014 é outro vinho bem mineral e fácil de beber. Feito com 85% de Vermentino e 15% de Sauvignon Blanc, é um vinho fácil de beber, leve e que vai maravilhosamente com frutos do mar e até uma comida japonesa. Assim como o 1933 Vernaccia di San Gimignano, que é tão mineral que parece até ser meio salgado. Pra explicar bem, ele não é salgado, mas de tão mineral que é, chega a parecer. Ambos não estão ainda disponíveis por aqui, mas devem chegar por R$ 100,00 e R$ 200,00.

Partindo para os tintos, o Momi 2013 a R$ 255,00, é um supertoscano bem legal, feito com Sangiovese, Cabernet Sauvignon, Petit Verdot e Montepulciano d’Abruzzo. Um vinho bem macio, muita fruta e madeira bem leve.

O Sòdole 2009 é um baita vinho! Feito 100% com sangiovese, é produzido no sul da Toscana, perto de Montalcino. Por isso, lembra muito um Brunello! E com 7 anos ele já tem traços de evolução que deixam o vinho bem complexo e delicioso. R$ 334,00.

O Ocra 2014 é um vinho da região de Bolgheri e ilustra bem os vinhos daquela região, famosa pelo Sassicaia. Encorpado, intenso, com muita fruta maudra, madeira bem equilibrada e um vinho de guarda. É um corte de Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Merlot e Syrah. Ainda não chega ao Brasil, mas deve vir por volta de R$ 250,00 – R$ 300,00.

Vingnarè Bolgheri Superiore 2011 é o irmão mais velho do Ocra. Com as mesmas uvas do anterior, mas sem a Syrah, tem o DNA do Ocra, mas com uma madeira mais presente e que ainda tapa um pouco a fruta. Mas daqui a uns 5 anos, vai estar mais redondo e pronto e vai ser um vinhaço. Deve chegar por volta de R$ 500,00.

O Millani IGT 2007 não tem preço. Sangiovese, Cabernet Sauvignon e Merlot compõe este corte que já com 9 anos, está no seu ponto ideal. Um vinho fácil e agradável de beber, ainda com acidez e alguma fruta, mas já com os aromas de evolução bem ressaltados.

O contexto todo foi muito bacana. Vinhos bons e pessoas com histórias interessantes. Como sempre digo, vinho é muito mais que um fermentado de uvas na taça. Vinho é história, é cultura, é experiência de vida! E estes vinhos tem tudo isto!

 

 

CHEERS!!

EnoDeco no Instagram: http://instagram.com/enodeco

Siga o EnoDeco no Twitter!

Torne-se um fã do EnoDeco no Facebook!

Beba moderadamente! O excesso de álcool é prejudicial à saúde!

Deixe uma resposta

Digite seu comentário
Digite seu nome aqui